Flavia Aranha

Blog

O caminho para o Sertão Veredas

Em maio desse ano fizemos nossa primeira viagem aos Gerais, como costumam chamar o terreno agreste, distantes das históricas minas. Chegando em Unaí, onde a Tecelagem de Unaí produz tecidos em tear artesanal reproduzindo padrões tradicionais do Brasil central, seguimos pelos caminhos do Vale do Urucuia visitando sete dos nove polos produtivos da Central Veredas de Artesanato.

A tradição ancestral vem sendo trabalhada com afinco e dedicação por artesãs da região, que produzem aplicando variadas técnicas artesanais têxteis, desde a fiação manual do algodão, passando pelo tingimento natural com folhas, cascas e raízes do bioma do Cerrado, finalizando com tecelagem artesanal e bordado livre com temas da cultura local.

Como não poderia deixar de ser, nos encantamos logo em nossa primeira visita. O ouro branco que brota nos quintais é cardado, fiado, tingido e tecido. A potência feminina gestacional cria, cuida, gere. Desde a instituição do Central Veredas, há mais de dez anos, o conhecimento que perpassa as gerações de mulheres da casa, antes aplicado à produção familiar, tornou-se importante fonte de renda local.

É desse universo que provêm os tecidos utilizados em nossa coleção de acessórios. Linhas tingidas com moreira, jatobá rosa, casaca de baru e "landim" em Uruana foram tecidas na Tecelagem de Unaí com “repassos” tradicionais, como são chamados os padrões têxteis. Buscamos dar uma nova leitura a esse material de valor simbólico e afetivo, unindo o tradicional ao contemporâneo através do design.

Flavia Aranha