Flavia Aranha

Blog

Curso e encontro com artesãs AMARIA

Inauguramos nossa agenda da Escola Ateliê com um grupo admiramos muito! Receberemos as artesãs de Muzambinho, MG, para o curso de Renda Frivolité no dia 29.09, sábado, das 9h às 18h.

Ministrado pela artesã veterana e “tesouro vivo” Dorvalina Dipe de 85 anos, com 75 anos de experiência em Frivolité, e sua discípula, a jovem e talentosa, Mirian Cristina de Oliveira Silva. Ambas da equipe Amaria de Muzambinho, sob coordenação de Mayumi Ito.

Neste dia, ambas passarão, entre técnicas e pontos, os segredos herdados de seus antepassados e que somente as mãos podem transmitir.

Conheça sobre as artesãs e este grupo que está conosco há alguns anos:

EQUIPE_S_003.jpg

Dorvalina Dipe nasceu em 1933 com mãos de fada, aos dez anos aprendeu a Renda Frivolité de forma quase autodidata, assim como outros trabalhos manuais de bordado, renda, crochê, tricô, papel machê, cestaria a outras técnicas.

É especialista em Renda Frivolité e Turca, pesquisadora incansável, estudiosa e apaixonada pelo que faz, está sempre se lapidando, buscando novos movimentos de dedos e instrumentos. O resultado é sempre surpreendente e encantador.

Nesses últimos anos vem repassando seus conhecimentos em cursos e entre artesãos. Está na equipe Amaria desde os primórdios.

Mirian Cristina de Oliveira Silva possui 43 anos de idade, aprendeu o crochê, ponto cruz e abrolho aos 6 anos com a mãe.

Há uns quatro anos atrás fez o curso de Renda Frivolite com a ‘Dona Dorvalina’, carinhosamente chamada, e se destaca na equipe Amaria com essa técnica, mais uma guardiã e perpetuadora da tradição.

EQUIPE_S_001.jpg

Mayumi Ito, capixaba de 58 anos, arquiteta de formação. Trabalhou em design de moda, gráfico e curadoria entre designers do Japão e Brasil entre 1986 a 2001 enquanto viveu em Tóquio.

Em 2003 muda-se para Muzambinho, sul de Minas Gerais, quando conhece a história da tecelagem manual e seu processo do plantio de algodão, beneficiamento de fios até manufatura de roupas para o corpo e casa.

Inicia a marca Amaria sonhando o resgate desse processo. Hoje a equipe Amaria é constituída de dezenas de artesãos, tecelões e costureiras conscientes da riqueza do trabalho manual e a importância de perpetuar saberes de seus antepassados.

8.jpg

O projeto Amaria foi fundado em 2003 pela arquiteta e designer Mayumi Ito. A cidade de Muzambinho, no sudoeste de Minas Gerais, antes produtora de algodão, nesta época, se dedicava ao café e a cultura da tecelagem aos poucos se perdia.

Mayumi Ito nasceu no Espírito Santo, se formou em Arquitetura na Universidade Presbiteriana Mackenzie, em São Paulo, e viveu durante 15 anos no Japão. Foi no oriente que Mayumi conheceu movimentos para a valorização do produto artesanal no museu Japan Folk Crafts.

De volta ao Brasil com a Eco 92, Mayumi Ito foi atraída para o artesanato da região de Muzambinho, onde fincou raízes e iniciou um trabalho educativo junto às artesãs.

Hoje, o Amaria engaja artesãos da região de Muzambinho em torno da tecelagem, do bordado e do tingimento através de programas de capacitação. Aos poucos, o grupo se torna reconhecido pelo processo de tecelagem manual com fios finos de seda e algodão tingidos naturalmente.

O grupo reúne, em torno de uma sofisticada produção, outra preciosidade: o talento de artesãos da área rural. Autodidatas na arte de bordar, costurar, tecer e tingir, eles foram incluídos nesse campo do trabalho criativo. São mulheres trabalhadoras livres – não só produzem, mas também participam da criação de cada peça.

Em 2016, o projeto Amaria selou parceria com a estilista Flávia Aranha, conhecida por seu trabalho com tingimentos naturais, e desde então, você pode conferir este minucioso trabalho nas peças que compõe a Linha Casa em nossa loja na Vila Madalena, SP.

Registro de nosso processo criativo e produtivo realizado em parceria com o projeto Amaria de Muzambinho - MG.

Todas as peças possuem etiquetas bordadas à mão, e o tingimento dos tecidos e fios de lã são realizados com materiais orgânicos da colheita do café reciclado, e os botões são esculpidos um a um. Cada detalhe é trabalhado com paciência e harmonia, qualidades que imantam cada peça de beleza atemporal.

Em sintonia com os ideais do movimento slow, Mayumi aborda a relação entre designer e artesão, afirmando que ela precisa ser construída com persistência, paciência, dedicação, troca de conhecimentos e compreensão mútua.

 VENDA ESPECIAL  28 e 29 SETEMBRO  Transformando todo o potencial desses moradores locais em uma verdadeira obra de arte, cada peça Amaria é um lembrete sobre conexões, sobre pessoas, sobre a ancestralidade.  Nos dia 28/09 e 29/09, você poderá conhecer esta história de perto. Receberemos a fundadora da iniciativa, Mayumi Ito, e as artesãs Dorvalina Dipe e Mirian Cristina, em nossa loja para compartilhar histórias afetivas e potencializar o trabalho feito à mão.  Te convidamos para este encontro!  r. Aspicuelta, 224, Vila Madalena, SP.

VENDA ESPECIAL 28 e 29 SETEMBRO

Transformando todo o potencial desses moradores locais em uma verdadeira obra de arte, cada peça Amaria é um lembrete sobre conexões, sobre pessoas, sobre a ancestralidade.

Nos dia 28/09 e 29/09, você poderá conhecer esta história de perto. Receberemos a fundadora da iniciativa, Mayumi Ito, e as artesãs Dorvalina Dipe e Mirian Cristina, em nossa loja para compartilhar histórias afetivas e potencializar o trabalho feito à mão.

Te convidamos para este encontro!

r. Aspicuelta, 224, Vila Madalena, SP.

Flavia Aranha